Make your own free website on Tripod.com

 Johann Gregor Mendel (1822-1884)

Botânico austríaco, fundador da Genética. Foi abade do Mosteiro de Santo Tomás, em Altbrünn, na República Tcheca, onde iniciou pesquisas sobre hibridação de ervilhas e concluindo, a partir delas, os dois princípios básicos da Genética, conhecidos como Leis de Mendel.

Em 1865 apresentou seus trabalhos à Sociedade de Ciências de Brünn, não tendo conseguido qualquer reconhecimento.

Contudo, após a aceitação da Teoria da Evolução de Charles Darwin e, principalmente, depois que Hugo de Vries (holandês), Carl Correns (alemão) e Erich Tschermak (austríaco), trabalhando separadamente, chegaram às mesmas conclusões que ele, em 1900, mais de quinze anos após sua morte, seus trabalhos tiveram a imporância e a profundidade reconhecidas.

 

 

 

Leis de Mendel

 

Muitos cientistas, desde a Antigüidade, tentaram explicar o mecanismo da hereditariedade sem, contudo, conseguir formular uma teoria satisfatória. Somente a partir dos trabalhos de Johann Mendel é que surgiram explicações definitivas para os processos de herança.

Durante muitos anos, Mendel realizou cruzamentos entre plantas de ervilhas (Pisum sativum) e depois realizou profundos estudos estatísticos nas gerações obtidas, analisando alguns caracteres específicos:

Caracteres

Tipos de Manifestação

Interior das sementes

amarelo

verde

Tegumento das sementes

cinzento

branco

Superfície das sementes

lisa

rugosa

Cor da vagem

verde

amarela

Situação das flores

terminais

axilares

Aspecto da vagem

robusta

murcha

Tamanho da planta

alta

baixa

O uso das ervilhas como material de estudo foi de grande importância para Mendel, pois elas apresentam as seguintes características:

Mendel estudou a herança de cada um dos caracteres separadamente, estabelecendo sua 1ª Lei, que rege o monoibridismo simples. Em seguida, ele passou a estudar a herança de dois ou mais caracteres ao mesmo tempo, formulando a sua 2ª Lei, que rege os casos de diibridismo, triibridismo e poliibridismo simples.

 

 

 

Hereditariedade.

Mecanismo de transmissão de características (morfológicas, fisiológicas ou comportamentais) dos ascendentes para os descendentes

 

 

Caráter.

(do grego karatteri, "o que está gravado")

Diz-se de toda manifestação morfológica ou fisiológica hereditária, cujo determinismo se prende à atividade gênica ou cromossômica

 

 

Autofecundação.

Fenômeno comum entre as plantas e alguns animais inferiores em que o organismo, sendo hermafrodita, se reproduz pela união direta de seus gametas masculinos e femininos